Por Thor Copruchinski – Instituto Chico Mendes

Mudança de paradigma

O comprometimento com o desenvolvimento social e ambiental tem sido um dos valores mais importantes na diversificação das empresas e entidades modernas.

Aquele velho conceito de lucro, puro e simples, sem consequências ao meio social e/ou ambiental deixa de ser válido nas organizações empresariais, tais essas, guiadas por empresários, CEO’s, diretores e gestores em diferentes setores e segmentos. Estes << novos profissionais >> vêm projetando no mercado ideias antes não usadas, como: “antes de cargos empresariais, existem pessoas; antes de lucro com produtos, existe o cuidado com o meio ambiente”. O raciocínio possui uma forte sustentação de conteúdo e princípio moral da sociedade moderna, que faz o constante questionamento: o que será do futuro? Para muitas pessoas o futuro será de uma sociedade sem desperdício ou intolerância social, prezando por manter a convivência harmônica entre desenvolvimento econômico e social além da preservação ambiental. Vários exemplos no mundo nos mostram que estamos caminhando, mesmo que a passos lentos, para o futuro alinhado com a democratização e acessibilidade social, responsabilidade ambiental e economia sustentável.

E o planeta agradece!

Exemplo real: visão de futuro

O município de Dubai, localizado nos Emirados Árabes Unidos, anunciou recentemente a construção de uma das maiores unidades de reciclagem do mundo e essa usina irá produzir cerca cerca de 171 megawatts de eletricidade ao ano, reciclando mais de 1,82 milhão de toneladas de resíduos sólidos e abastecendo quase 120 mil famílias.

Outro exemplo de grandes empresas que já admitiram sua responsabilidade no descarte de resíduos plásticos no meio ambiente: as redes Starbucks e McDonald’s. Por inevitável pressão global dos consumidores, as empresas já adotaram copos 100% recicláveis e incentivam outras companhias, como as de alimentação (de todos os tamanhos), convidando-as a substituir os copos descartáveis.

E você? O que tem feito?

Você também faz parte disso tudo.

O que você tem feito (diariamente) para reduzir o seu impacto ambiental?

Conscientização e mudança de hábitos não são tão difíceis como parece. É importante compreender: sua alimentação, suas roupas, seu transporte, até seu dinheiro (o papel mesmo) – tudo isso está interagindo e causando impacto no meio socioambiental.

Sua contribuição com a conservação do meio ambiente vai desde pequenas ações em sua própria casa, como realizar a separação correta de lixo, evitar o desperdício de água, reduzir o consumo de energia, até mesmo particular de programas de incentivo ao desenvolvimento sustentável e projetos socioambientais desenvolvidos por empresas ou outras instituições.

Projeto de Lei para acabar com copos plásticos

Não estamos longe de ter mais plástico do que peixes nos oceanos.

Algumas pesquisas demonstram que até 2050, isso infelizmente já poderá ocorrer. Algumas medidas para reduzir a << população de plásticos >> já são bem aceitas pela indústria e consumidores e aos poucos estão ajudando na mudança de comportamento da sociedade de modo geral.

O GREENPEACE canadense produziu uma campanha publicitária de estrondosa repercussão mundial, conscientizando a população para o uso indiscriminado de canudos plásticos que acabam sendo mal descartados – indo parar no mar. Pena a campanha ter sido veiculada somente lá no extremo norte das Américas.

Reduzir a produção de canudos plásticos é apenas uma etapa da nova era em prol da mudança de paradigma sobre nosso meio ambiente. A vida útil de um canudo é o tempo suficiente para você terminar a sua bebida, o que dá uma média de quatro minutos. Normalmente feitos de polipropileno ou poliestireno, estes << inofensivos itens >> demoram até 200 anos para se decompor, quando descartados na natureza.

Vai planeta!

Responsabilidade, acima de tudo

Evitar o desperdício, de uma maneira geral, é algo que todos os indivíduos devem ter em mente (ou pelo menos deveriam ter) já que todas as coisas que compramos, consumimos – direta ou indiretamente -, fazem utilização de recursos que vêm da natureza. E, essas << coisas >> podem não se renovar.

Seja responsável, o mundo precisa de você!