Por Isadora Maia – adaptado por Bruno Henrique

Há 29 anos, os então universitários Leandro Knopfholz e Carla Bittencourt idealizaram o que hoje é um imenso motivo de orgulho do povo curitibano: O Festival de Curitiba.

Realizado pela primeira vez em 1992, sua primeira edição trouxe 14 espetáculos para o público de 25.000 pessoas, que ocupavam as salas de teatro e as ruas da cidade. O nascimento do Festival também foi marcado pela inauguração da Ópera de Arame, um dos principais cartões postais de Curitiba, com a peça “Sonho de uma noite de verão”, de Shakespeare, dirigida por Cacá Rosset.

Um dos maiores festivais de teatro do Mundo

Em 1998, o evento incorporou um elemento que faria atingir o patamar de um dos maiores festivais de teatro do mundo. Inspirado pelo Festival de Edimburgo nasceu a mostra Fringe – um braço alternativo à curadoria da mostra oficial.

O Fringe contou com 7 espetáculos em sua primeira edição, e hoje esse número chega a mais de 400 peças, que colorem a cidade ocupando espaços públicos, teatros, bares e onde mais a arte se permitir manifestar. A combinação das duas mostras traz visões de mundo e vozes de tantas perspectivas diferentes que é impossível não reconhecer a importância política do evento, que desde sua concepção buscou trazer o diálogo e a crítica ao establishment (a ordem ideológica, econômica, política e legal que constitui uma sociedade ou um Estado) através do encantamento e efervescência da arte.

O Festival de Curitiba foi criado com o intuito de celebrar a arte

Hoje o Festival de Curitiba abrange não só teatro, mas diversos outros eventos culturais.

Dentro da programação o público se depara com experiências que vão da gastronomia ao stand up comedy. O Gastronomix, sob curadoria do Chef Celso Freire, é ambientado por boa música e clima de << pic-nic urbano >>. Traz prato-assinatura de grandes chefs do Brasil e América Latina a preços acessíveis. Há também o Risorama; sucesso de públicoque conta com a presença dos principais representantes da comédia nacional nos palcos curitibanos – sob a bânção e curadoria do humorista “curitiboca” Diego Portugal.

A agenda conta ainda com o Mish Mash, uma miscelânea de artistas de diversas partes do globo que promete surpreender a cada ano com as mais diversas performaces, mesclando arte circense e elementos contemporâneos. Além disso, a mostra infantil Guritiba promove momentos em família ao trazer espetáculos e atividades que agradam às crianças e aos pais, em apresentações gratuitas e/ou a preços bem populares.

Um presente para todos

O mix de ativos deixa a cidade em festa sempre entre o fim de março e começo de abril – junto ao aniversário de Curitiba, consagrando-o enquanto um presente para a cidade e para milhares de turistas que comparecem todo ano. Com atrações para todas as idades, estilos e preferências, o Festival de Curitiba atrai hoje um público de mais de 215.000 pessoas, consolidando-se como um dos maiores encontros culturais do mundo.

Este ano a Edição acontece entre os dias 24 de março e 5 de abril, por toda a cidade.