Normalmente os distúrbios posturais crônicos associado a dores musculares já começam na infância, sendo em sua grande maioria decorrente ao crescimento ósseo acelerado e a falta atividades de exercícios físicos principalmente dos membros inferiores.

O crescimento acelerado dos ossos das crianças está diretamente relacionado com fatores hormonais em constante produção, fatores genéticos e a inquietude peculiar psicomotora de quem quer fazer várias coisas ao mesmo tempo, servindo de estímulo sobre suas cartilagens de crescimento dos ossos longos principalmente.

Infelizmente o que observamos é que tendões e músculos não tem a mesma capacidade elástica de acompanhar crescimento ósseo, ocorrendo por isso um aumento das tensões sobre as articulações e ossos longos gerando queixas, principalmente noturnas em suas pernas, as vezes nos joelhos, pés e calcanhares, o que chamamos como uma forma mais simples para explicar aos pais de “doenças do crescimento”. 

Estas tensões promovidas pela retração muscular posterior das coxas levam a todo um desequilíbrio em toda estrutura vertebral até a base do crânio.

Como podemos prevenir e perceber esta ocorrência? Muito fácil!

O que se percebe é que uma vez estabelecida esta alteração do equilíbrio sagital da coluna vertebral, passamos a observar que vão surgindo alternadamente vários sintomas como: dores de cabeça, dores cervicais, dores nos ombros, dorsalgia (músculos da coluna torácica) e lombalgias, e ainda, dores nos joelhos e nos pés.

Não pense que se você cresceu “torto”, então não há mais solução!

Algumas mudanças de atitudes e a prática de hábitos saudáveis como exercitar-se diariamente e alimentação controlada ajudam a melhorar nossas vidas. As cartilagens num contexto geral se nutrem por osmolaridade, portanto quanto mais movimentos você praticar melhor ficará. A antiga ideia de que, quando uma determinada articulação e seus tendões estão doendo deve-se dar repouso aos seus movimentos, na maioria das vezes isso não é o recomendado, como exemplo nas dores de coluna lombar, eu particularmente recomendo nas lombalgias do adulto, o exercício bem orientado, pois isso ajuda a melhorar a dor, a mobilidade e a função vertebral, ajuda ainda a prevenir a aceleração degenerativas dos discos e das articulações da coluna vertebral, reduzindo também, os casos de osteoporose e as deformidades que surgirão com o avançar da idade.

Dr. Paulo Augusto Rocha – Titulado em Ortopedia e Traumatologia pela Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT); Membro da Sociedade Brasileira de Coluna; Membro da Academia Americana de Cirurgia Ortopédica (AAOS); Membro da Sociedade Norte Americana de Coluna (NASS).

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

https://www.linkedin.com/company/55058278
https://www.instagram.com/revistavivacuritiba/