Doces e memorias portuguesas

  • A feijoada, o barreado e a moqueca são pratos brasileiríssimos, mas são inspirados em pratos portugueses tais como a própria feijoada de lá (infundido pela cultura dos escravos há séculos), o cosido açoriano e a caldeirada, respectivamente.


  • Além deles, alguns doces sofreram modificações ao cruzarem o oceano e viraram tradição no Brasil. Vários docinhos, que fazem nosso pecado da gula se aflorar, são releituras ou até mesmo copias da receita lusitana.


  • O mais conhecido deles é o quindim. Segundo com o chef Paulo Cordeiro, proprietário de uma padaria e doçaria com características portuguesas, a receita original é a Brisa de Lis, um doce proveniente da cidade de Leiria, região central de Portugal. “Lá ela é feita com amêndoas, mas quando a família real chegou ao Brasil, trocaram por coco como ingrediente”.


  • Outros doces famosos por aqui que também foram alterados para a cultura brasileira são o pudim e o chuvisco (doce famoso especialmente no Rio de Janeiro), o pudim tradicional, por exemplo, aqui leva leite condensado e em Portugal é feito somente com leite, ovos e açúcar.


  • “Gastronomia é cultura. E eu, que também cruzei o oceano para viver no Brasil, acho incrível perceber como a mesma receita pode ser transformada de acordo com o ‘ambiente’ onde ela está desenvolvida”, completa Paulo Cordeiro.