Chef em casa: Transformando seu hobby em renda

  • Graças à internet está cada vez mais fácil transformar esse hobby em uma fonte de renda. O que não faltam são vídeos, blogs, tutoriais e produtos direcionados aos futuros chefs.


  • Com um pouco de informação, inspiração e dedicação aqueles lindos bolos, doces e salgadinhos que antes eram vistos apenas nas grandes padarias e confeitarias passam fazer parte da casa e mesa de pessoas comuns.


  • Segundo Susan Whitbourne, professora de ciências psicológicas e cerebrais na University of Massachusetts, as pessoas reduzem seu estresse quando têm alguma forma de dar vazão à sua criatividade “Há muita literatura científica que confirma a ligação entre expressão criativa e bem-estar geral. Quer seja pintura, fazer música ou preparar um bolo”.


  • Se, por acaso, por hobby ou por trabalho esse é um caminho que você pretende seguir, aí vão algumas dicas especiais para começar sua trajetória da cozinha para o mundo agora mesmo.


  • PARA COMEÇAR, INSPIRE-SE!


  • Fontes de inspiração na internet não faltam mesmo. Basta uma rápida buscar no senhor Google, pai de toda sabedoria, para encontrar referências de diferentes tipos e estilos. Outro espaço que muita gente tem divulgado suas criações é no Instagram, fontes de inspiração não faltam.


  • QUALIDADE, SEMPRE!


  • Outro ponto muito importante nesta empreitada é escolher ingredientes de qualidade. Sem dúvida alguma, eles fazem toda a diferença tanto na estética quanto no sabor. Com a grande difusão da confeitaria gourmet em casa é muito mais fácil encontrar produtos, que antes só estavam disponíveis para as grandes indústrias, proporcionados especialmente para pequenas produções e com a mesma qualidade.


  • DIVULGUE SEU TRABALHO


  • Como já diz o ditado, a propaganda é a alma do negócio e não há divulgação melhor do que a boca a boca, seja por prazer ou por trabalho, nunca descuide de uma boa apresentação, faça seu público comer com os olhos para, em seguida, serem fisgados pelo delicioso sabor dos seus quitutes. Assim, não tem erro.


  • QUEM FEZ E DEU CERTO


  • Marilene Sousa, desde quando os filhos eram pequenos, como forma de economizar, fazia o bolo de aniversário para eles, isso já dura mais de 20 anos. Porém a questão de “vender para fora” veio em um período de dificuldade financeira.


  • “Uma das minhas filhas me questionou, ‘porque eu não vende seus bolos para fora’, comecei com uns bolinhos bem tradicionais, fubá, laranja e pouco a pouco ia aparecendo alguém interessado”.


  • Dois detalhes interessantes surgiram, a divulgação e a inspiração. “Antes eu tinha uma página no Instagram pessoal, não tinha muita gente, quando profissionalizei a página o número de seguidores aumentou rapidamente (mais de 5000) e de clientes também”. Com o aumento de pedidos, os bolos se tornaram uma das principais fontes de renda da casa.


  • Além da divulgação na rede social, Mari, sempre fica observando grupos dentro dessas mídias. Muitas mulheres fazem parte do Clube da Alice (local onde elas conseguem divulgar o próprio trabalho) e, uma pessoa pediu no grupo se conheciam alguém que faz pão caseiro no estilo da vovó, “mostrei uma foto dos que eu faço, aqueles amassados nas mãos e ela me pediu 60 para um evento da igreja dela. Aquilo me deu uma segurança para continuar divulgando meu trabalho e serviu como uma baita motivação para que eu continue”.