Homem contemporâneo

Se o século XX foi marcado pela revolução feminista que deu às mulheres os mesmos direitos que os dos homens, no século XXI, são eles que pouca a pouco fazem sua revolução. Uma revolução que começa pelo direito do sexo masculino de cuidar de sua aparência e bem-estar.


Foi-se o tempo em que essas coisas eram exclusividade das mulheres. E aos homens, o único ritual de cuidados diários permitido consistia apenas em vestir roupas apresentáveis e manter unhas, cabelo e barba (ou bigode) limpos e bem aparados.


Hoje, em especial nas grandes cidades, o homem brasileiro vem descobrindo o prazer de se cuidar sem temer preconceitos. Muito mais do que por vaidade, essa busca do homem contemporâneo por um visual mais bonito, harmônico e elegante é um claro retrato de que ele passou a assumir que quer e necessita estar bem consigo mesmo.


Autoestima e qualidade de vida são as palavras-chaves. Sentir-se bem pode começar pelos cuidados com o corpo, com a saúde e a aparência, mas certamente vai se refletir em mais autoconfiança, mais bom-humor, prazer e vitalidade no dia a dia. Tanto que até mesmo aqueles mais desligados, à moda antiga, estão percebendo que no mundo competitivo em que vivemos, uma boa aparência conta pontos a favor no mercado de trabalho, no mundo dos negócios e também na hora da paquera.


Metrossexual


O termo “metrossexual” – contração das palavras “metropolitano” com “heterossexual” – veio para designar homens heterossexuais das grandes metrópoles que valorizam os cuidados com a aparência.


Pele saudável e rejuvenescida, cabelo macio e de corte moderno, unhas bem cuidadas, um guarda-roupas e acessórios de estilo mais sensualidade de um bom perfume deixado no ar identificam o metrossexual mais light, atualmente chamados de “homens modernos”. Mas há até aqueles que vêm aderindo à depilação, à manicure e pedicure, ao design de sobrancelhas e às escovas no cabelo.


Contudo, até mesmo aqueles homens que não se identificam com o típico metrossexual – e nem cogitam em se depilar e tirar a cutícula – andam cada vez mais sintonizados com esse conceito de se cuidar. Procuram uma vida mais saudável, administrar o estresse, praticar exercícios físicos e garantir uma alimentação balanceada. Uma transformação muito benéfica não apenas para eles e elas, mas também para o mercado de consumo de bens e serviços.


Mercado em ascensão


Há cada dia crescem as ofertas de bens e serviços para o novo consumidor, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), este nicho de mercado cresceu cerca de 10% ao ano durante os últimos 10 anos. Salões de beleza e centros de estética já dedicam serviços exclusivos para homens.


O homem passou a ser um grande alvo de consumo e vem recebendo atenção especial da indústria, com lançamento de linhas especiais para cuidados da pele, do cabelo e da barba. Um dos grandes exemplos desse movimento é a propagação de barbearias, como temos acompanhado nos últimos anos. As “barber shops” se transformaram em butiques combinadas com bares (espaço para barba, cabelo e manicure, degustação de bebida e até refeições) e viraram pontos de encontro. Como o uso de barba e bigode passou a ser símbolo de masculinidade e asseio, vimos o número de linhas específicas para essas áreas crescer e trazer inovações, como óleo para barba, cera para bigode, ingredientes e fragrâncias diferenciadas.


O setor de vestuário e calçados anda cada vez mais especializado, com roupas e acessórios para homens de todos os estilos e idades.


Cada vez mais consciente da importância de se cuidar, o público masculino passou a demandar produtos com atributos e benefícios específicos para suas necessidades, que fossem além do desodorante e do perfume. Como resposta, várias marcas do segmento passaram e investir mais em linhas exclusivas para eles, com produtos para cabelo e skincare.