E agora, com que roupa eu vou?

Num pais como o Brasil, onde a miscigenação é um fator que define infinitos biótipos, fica mais difícil a tarefa de padronizar os tipos de corpos. Essa mistura garante a cada um de nós características corporais que podem nos ajudar, esteticamente falando, ou nos prejudicar.


A moda é um sistema complexo de referências em relação à beleza, às vestimentas e ao nosso comportamento, e dela podemos nos favorecer para ter mais equilíbrio quanto à imagem que queremos passar aos demais.


Para ressaltar nossas qualidades e esconder os aspectos que nos desfavorecem, devemos usar alguns critérios na hora de escolher a roupa mais adequada ao nosso tipo de corpo.


O importante para se vestir bem é respeitar nossas formas físicas e não tentar forçar um visual que não se enquadra ao nosso biótipo, portanto evite cair no ridículo tentando usar uma roupa só por que está na moda ou por que você viu alguém usando e achou legal. Respeite, acima de qualquer coisa, se estilo pessoal na hora de escolher o que vestir.


Entenda qual seu tipo de corpo, escolhendo dentre os perfis a seguir o que mais se assemelha ao seu, e aproveite as dicas para montar o seu look.


Retângulo – Os quadris e a cintura e os ombros têm quase as mesmas medidas.


O objetivo é criar cintura.


Use casacos e jaquetas com pence (ajustada), calças com cortes retos e afunilados, ou até com a boca um pouco mais larga;


cintos faixas sobre roupa ficam legais se você não tiver barriga;


procure chamar a atenção para o colo, desviando a atenção da cintura;


saias evasês e curtas;


o corselete ajuda a modelar o corpo;


decotes em “V” e em “U” ou canoa, e prefira cores escuras na parte de cima, pois emagrecem.



Oval – A largura da cintura é bem maior que a dos ombros e a dos quadris.


O objetivo é disfarçar a falta de cintura. Explore as pernas, chamar a atenção para o torso através de decotes, tentar estender os ombros e ainda tentar diminuir os quadris.


Nada deve parar na altura da barriga ou do quadril, pois dão a ilusão de que são maiores ainda;


Use calças e sais sem pregas;


calça de cintura no lugar com corte reto;


decotes em “V” e em “U”;


blazers, camisas e tricot que ultrapassam a linha da cintura.



Triângulo invertido – os ombros têm medida maior que a da cintura e dos quadris.


O objetivo é aumentar o quadril para que fique proporcional ao ombro. Use vestidos e blusas de frente única;


calça de cintura baixa;


saias evasês, rodadas ou retas;


cor escura na parte de cima;


regata de alça fina;


blusas modelo cachê-coeur;


calça com volume, boyfriend, pantalona ou saruel.



Ampulheta – A medida dos ombros é quase a mesma que dos quadris. E a cintura é mais estreita.


Esse tipo de corpo é o ideal, pois tem equilíbrio em todas as partes do corpo e é o que toda mulher gostaria de ter.


Neste caso, poucas roupas tem restrição, determinadas as ressalvas quanto aos excessos, mau gosto e vulgaridade.


No mais, invista em roupas que aproveitem todas as qualidades.



Pêra – Os ombros e a cintura são mais estreitos que os quadris.


O objetivo é fazer com que os ombros se aproximem da medida do quadril, ou diminuir visualmente o quadril. É o mais típico entre as brasileiras.


Use calças e saias de cores escuras;


decote de ombro a ombro;


tomara-que-caia, se você estiver em forma;


mangas com volume;


abuse das cores na parte de cima;


saias e vestidos evasê; camisetas com manga.